Tatá Aeroplano

Notícias do Tatá

eu acredito na existência do amor

 

politicar o tempo e revoar

desprender com calma

assimétrico … provocativo

aprender a desandar

 

fui fundo na minha busca transcendental e espiritual

adentrei uma nova existência

dentro das outras existências que me visitam

(e)xistências mil

 

um paradigma quântico, colorido, dolorido e muito lindo

que não traduz meu semi silêncio mortal na rede

silêncio lynch(iy)niano

 

é tempo de embebedar cavalos

envenenar a rede

com palavras, links, tiradas

a timeline não perdoa quem cala, quem fala, quem assiste

e o que o tempo dirá disso tudo?

 

existirá tempo para isso?

para captar esse novo espírito existencial?

 

de uns tempos pra cá

ando muito a pé

como se vivesse num passado ancestral

como se tudo fosse mata, pastagem, floresta

como se eu vivesse há mil anos atrás

observo a graça, o canto e o manto de cada espécie de pássaro

atravesso as ciclovias como se fossem pequenos riachos

me encanto com os insetos de diversas cores e tamanhos

plantas … flores

a terra sempre será sagrada

pachamama

 

decido o destino de cada centavo

um ato político

menos bancos

menos contas

prefiro cada vez mais viver o tempo morto no passado

troco com os pequenos agricultores

orgânicos

convivo com pequenos artesãos

singelas manufaturas a mão

trocas espirituais

simplesmente soar

 

minha querida irmã

planta vassouras voadoras

meu querido irmão tem mãos boas para a terra

o sítio recebe de braços abertos

insetos, pássaros, anfíbios e répteis de todos os tempos e cores

 

templo natural

 

eu planto canções

envio sons pro espaço

despacho discos voadores pelo correio

 

(o)Vynis não identificados

Viagens embaladas com música e afeto

vivo a parte

do ultrapassadíssimo paradigma

 

assassinar as instituições

religar não é erguer templos

colocar a fé no papel?

prender alma e mente?

a fé … essa energia brutal e maravilhosa que não cabe na lâmpada do Aladin

 

r(existo) encantado pelo mini mistério

pelos gritos na rua

não faço muito barulho

mas por onde passo

se me derem a palavra – falo pelos cotovelos

levo e transbordo a fé que eu acredito ser

 

acredito na existência do amor

isso ninguém me tira

 

essa garotada ainda vai derrubar o “velho”

e existirá tempo de sobra para todos

 

 

para os amigos pássaros … Flavio Lima, Gustavo Galo e Peri Pane

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *